5 Maneiras de ser um excelente Optometrista

5

O que faz um bom Optometrista? A capacidade de transmitir um conhecimento denso e realizar um diagnóstico correto, mas também a compaixão e claro, a resiliência. Continue a ler para descobrir os atributos que fazem um ótimo Optometrista.

1. Não ter medo de admitir as suas falhas

Um bom optometrista deve ser capaz de dizer "não sei" quando há lacunas no seu conhecimento ou falta de informação suficiente para obter um panorama claro.

Pedir uma segunda opinião ou realizar mais testes quando não se tem a certeza sobre algo não é incompetência. Pelo contrário, tirar conclusões precipitadas e prescrever o tratamento em poucos minutos após a consulta com o paciente pode colocar em risco a vida ocular do paciente.

A Optometria é incrivelmente complexa e pode envolver muitas partes móveis - por vezes é necessário fazer mais exames, consultar um livro ou falar com um especialista sénior antes de fazer um diagnóstico.

2. Ser inteligente emocionalmente

Se os Optometristas fazem o diagnóstico errado, muitas vezes é porque se acostumaram a seguir um roteiro de perguntas e respostas, e não conseguiram identificar sinais de alerta de modo a prever que o problema pode ser mais complexo.

Às vezes, uma doença pode ser mais psicológica do que física, e os profissionais desta área não percebem isso se não prestarem atenção suficiente aos pacientes.

Ser um bom profissional não é apenas ser capaz de produzir uma resposta de livro. Trata-se também de confrontar questões emocionais de cada um.

   

   

3. Ser bom ouvinte e observador

Se escutar o paciente, ele irá partilhar as suas preocupações. A maioria dos pacientes hoje em dia também lêem bastante na internet. Começemos com uma pergunta geral como: "Qual é o seu entendimento do seu diagnóstico até agora? Ao descobrir onde estão no seu entendimento, para começar, poupe muito tempo dizendo-lhes o que precisam saber. Quais são as lacunas que precisam de ser preenchidas? Quais são os erros que precisam de correção?

Muitas vezes, ouvir o seu paciente falar sobre os sintomas e o histórico clínico é tão importante quanto o exame físico. As pistas sobre o diagnóstico ficarão ocultas na queixa do seu paciente, por esse motivo é preciso ter um bom ouvido para poder classificar informação relevante ou descartável.

4. Ser implacável

Nem todos os pacientes apresentarão uma condição comum e facilmente identificável. Em casos mais raros, fazer o diagnóstico correto pode ser uma jornada longa e árdua, que envolve consultas com especialistas e outros profissionais, além de ter várias conversas com o paciente, tentar desenvolver planos de tratamento diferentes e executar vários testes.

Um sinal de um bom Optometrista é um compromisso implacável com a causa do paciente e a capacidade de continuar a tentar até que possa voltar ao paciente com um plano de diagnóstico e tratamento claro e preciso.

Essa persistência e perseverança também serão úteis para que o seu desempenho laboral seja sempre de topo.

   

   

5. Ter fé em si próprio

Embora a execução de vários testes para descartar condições graves seja sempre uma boa ideia, não se deve realizar todos os testes visuais por precaução. Um dos maiores desafios que os técnicos na área da visão júniores precisam de superar é não confiar no próprio julgamento. Não se veja como uma fraude!

O Optometrista é um ser humano imperfeito e único, com uma excelente formação e um admirável senso de propósito. A sua humanidade servirá ainda melhor aos seus pacientes.

   

Fórum Lentes Especiais '19 Na 2ª edição do fórum de contactologia, oferecemos-lhe a oportunidade de assistir a palestras e participar em workshops com profissionais de estatuto nacional e internacional. O evento regressa a Lisboa no dia 26 de Outubro das 9h às 18h, com almoço e coffee breaks incluídos para todos os participantes.

      

.uhjgjjgjghj

[[pt]]Publicacado a[[es]]Publicacado a

May 28, 2019

5 Maneiras de ser um excelente Optometrista

5

O que faz um bom Optometrista? A capacidade de transmitir um conhecimento denso e realizar um diagnóstico correto, mas também a compaixão e claro, a resiliência. Continue a ler para descobrir os atributos que fazem um ótimo Optometrista.

1. Não ter medo de admitir as suas falhas

Um bom optometrista deve ser capaz de dizer "não sei" quando há lacunas no seu conhecimento ou falta de informação suficiente para obter um panorama claro.

Pedir uma segunda opinião ou realizar mais testes quando não se tem a certeza sobre algo não é incompetência. Pelo contrário, tirar conclusões precipitadas e prescrever o tratamento em poucos minutos após a consulta com o paciente pode colocar em risco a vida ocular do paciente.

A Optometria é incrivelmente complexa e pode envolver muitas partes móveis - por vezes é necessário fazer mais exames, consultar um livro ou falar com um especialista sénior antes de fazer um diagnóstico.

2. Ser inteligente emocionalmente

Se os Optometristas fazem o diagnóstico errado, muitas vezes é porque se acostumaram a seguir um roteiro de perguntas e respostas, e não conseguiram identificar sinais de alerta de modo a prever que o problema pode ser mais complexo.

Às vezes, uma doença pode ser mais psicológica do que física, e os profissionais desta área não percebem isso se não prestarem atenção suficiente aos pacientes.

Ser um bom profissional não é apenas ser capaz de produzir uma resposta de livro. Trata-se também de confrontar questões emocionais de cada um.

   

   

3. Ser bom ouvinte e observador

Se escutar o paciente, ele irá partilhar as suas preocupações. A maioria dos pacientes hoje em dia também lêem bastante na internet. Começemos com uma pergunta geral como: "Qual é o seu entendimento do seu diagnóstico até agora? Ao descobrir onde estão no seu entendimento, para começar, poupe muito tempo dizendo-lhes o que precisam saber. Quais são as lacunas que precisam de ser preenchidas? Quais são os erros que precisam de correção?

Muitas vezes, ouvir o seu paciente falar sobre os sintomas e o histórico clínico é tão importante quanto o exame físico. As pistas sobre o diagnóstico ficarão ocultas na queixa do seu paciente, por esse motivo é preciso ter um bom ouvido para poder classificar informação relevante ou descartável.

4. Ser implacável

Nem todos os pacientes apresentarão uma condição comum e facilmente identificável. Em casos mais raros, fazer o diagnóstico correto pode ser uma jornada longa e árdua, que envolve consultas com especialistas e outros profissionais, além de ter várias conversas com o paciente, tentar desenvolver planos de tratamento diferentes e executar vários testes.

Um sinal de um bom Optometrista é um compromisso implacável com a causa do paciente e a capacidade de continuar a tentar até que possa voltar ao paciente com um plano de diagnóstico e tratamento claro e preciso.

Essa persistência e perseverança também serão úteis para que o seu desempenho laboral seja sempre de topo.

   

   

5. Ter fé em si próprio

Embora a execução de vários testes para descartar condições graves seja sempre uma boa ideia, não se deve realizar todos os testes visuais por precaução. Um dos maiores desafios que os técnicos na área da visão júniores precisam de superar é não confiar no próprio julgamento. Não se veja como uma fraude!

O Optometrista é um ser humano imperfeito e único, com uma excelente formação e um admirável senso de propósito. A sua humanidade servirá ainda melhor aos seus pacientes.

   

Fórum Lentes Especiais '19 Na 2ª edição do fórum de contactologia, oferecemos-lhe a oportunidade de assistir a palestras e participar em workshops com profissionais de estatuto nacional e internacional. O evento regressa a Lisboa no dia 26 de Outubro das 9h às 18h, com almoço e coffee breaks incluídos para todos os participantes.

      

.uhjgjjgjghj

[[pt]]Publicacado a[[es]]Publicacado a

May 28, 2019

[[pt]]Notícias[[es]]Noticias